quarta-feira, dezembro 05, 2007

Beco das Garrafas

Na Rua Duvivier, entre os números 21 e 37, há uma pequena ruela que foi muito frequentada, na década de 1950. Aí se concentravam pequenos bares, conhecidos como "fumaceiros" cujos frequentadores faziam tanta algazarra de madrugada, quando saíam dos bares, que os moradores da vizinhança protestavam jogando garrafas desde o alto dos edifícios. Razão porque Sérgio Porto a apelidou de Beco das Garrafadas, depois abreviado para Beco das Garrafas.

No beco enfileiravam-se um «inferninho» chamadp Ma Griffe ; o bar Bottle's; a boite Baccarat, um templo da Bossa Nova; e, finalmente, o Little Club, pioneiro dos chamados shows de bolso.

No Baccarat , ficaram conhecidos e atingiram o estrelato Dulores Duran e Helena de Lima. Havia um garçon, o Pierre, que interpretava canções francesas ainda com a bandeja debaixo do braço, e que mais tarde abriu seu próprio bar, o Kilt Club,não muito longe dali, na Rua Carvalho de Mendonça.

Luiz Carlos Miele foi o mais famoso produtor de shows neste recanto de Copacabana, em que se apresentaram, entre outros, Leny Andrade, Dóris Monteiro, Tito Madi, Luís Carlos Vinhas, Sérgio Mendes, Baden Powell, Nara Leão.

Na década de 1960 entrou em decadência, perdendo o brilho e a fama conquistados na década anterior.



2 comentários:

José de Alcebíades e Cavalcanti disse...

O Rio de Janeiro tem historias & estórias, em cada esquina...

José de Alcebíades e Cavalcanti disse...

O Rio de Janeiro tem historias & estórias, em cada esquina...