quarta-feira, janeiro 20, 2010

Camundongo




Camundongo, como era conhecido o cidadão mineiro Antonio dos Santos. Embora de pequena estatura, tinha bastante força nas pernas, pois “pilotava” este estranho motorhome, estacionando-o em praças como a Serzedelo Correia, em Copacabana, ou o Largo do Machado, no Flamengo, aí pelas décadas de 1940 e 1950.

Ganhava a vida tocando, para quem lhe pagasse pequena quantia, discos de sua coleção em uma vitrola, movida à corda, instalada no seu estranho veículo.



2 comentários:

Alison Al disse...

Há cinquenta anos republicado no jornal o globo dia 21/03/2013

segue: 21/03/1963
Momentos depois de soprar as velhinhas e de cortar o bolo com que estudantes e populares festajavam os seus 109 anos de vida Antonio dos Santos o
Camundongo, que o Largo do Machado conhecia e estimava, não resistiu a emoção dos abraços e do "parabéns para você" morrendo na calçada, ao lado da corrocinha metálica que era a sua casa. Ninguem pensava que a festa fosse terminar as 15:00, com uma nova romaria ao local desta vez de gente que velava, triste, o corpo de um dos últimos tipos populares.

Alison Al disse...

Camundongo, que o Largo do Machado conhecia e estimava, não resistiu a emoção dos abraços e do "parabéns para você" morrendo na calçada, ao lado da corrocinha metálica que era a sua casa. Ninguem pensava que a festa fosse terminar as 15:00, com uma nova romaria ao local desta vez de gente que velava, triste, o corpo de um dos últimos tipos populares.