quarta-feira, março 16, 2011

Pinheiro Machado - Monumento

José Gomes Pinheiro Machado nasceu em 8 de maio de 1847 em São Luiz, RS. Em 1867, interrompeu seus estudos na Faculdade de Direito de São Paulo para seguir como voluntário para a Guerra do Paraguai. Voltando da guerra, terminou o curso e dedicou-se à advocacia até que decidiu tornar-se estancieiro, dedicando-se às atividades rurais, construindo o início de sua fortuna particular.

Fundou, com Venâncio Aires, o primeiro grêmio republicano na Província do Rio Grande do Sul, sendo um dos que, seguindo Júlio de Castilhos, propagou as idéias republicanas. Proclamada a República, foi Pinheiro Machado eleito Senador pelo Rio Grande para o Congresso Constituinte, não deixando de ser reeleito a cada vez.

Em 1892, quando da revolta federalista do Estado, seguida da Revolta da Armada, Pinheiro Machado pôs-se à frente da chamada “Divisão do Norte”, constituída de voluntários, para combater os inimigos de sua causa, vencendo-os no encontro em Passo Fundo. Tão relevante foram considerados seus serviços que Floriano Peixoto o nomeou General-de-Brigada.

Em 1915 foi assassinado, no Hotel dos Estrangeiros (ver), sendo o corpo levado ao Rio Grande do Sul pelo Encouraçado “Deodoro”, da Marinha de Guerra.

O monumento a Pinheiro Machado fica na Praça Na. Sa. da Paz. Foi fruto de iniciativa do Deputado Francisco Valadares que resultou em um concurso de maquetes vencida pelo escultor Hildegardo Leão Veloso (1899-1966). Devido a problemas advindos de sua execução, o escultor desinteressou-se de concluir seu trabalho, e o monumento foi entregue à Prefeitura pela empresa Cavina & Cia, não havendo cerimônia de inauguração.

O monumento fica sobre uma base construída em pedra e cimento, com quatro degraus de acesso ao pedestal, composto de colunas de granito e cantaria, de altura de cinco metros. A figura de Pinheiro Machado encontra-se de pé, de frente para a Rua Visconde de Pirajá; nas faces laterais, duas figuras de mulher que simbolizam a Glória e a Apoteose.

Acima, a foto do monumento como visto da Rua Visconde de Pirajá; abaixo, a estátua de Pinheiro Machado a.


2 comentários:

Ivo Korytowski disse...

Quando criança brincava na praça N. S. da Paz e me sentava no colo da Glória e da Apoteose. O monumento é em estilo art déco, na moda na época. O Cristo Redentor no alto do Corcovado é o maior monumento art déco do mundo!

Mascarenhas disse...

Muitas solenidades foram realizadas junto ao monumento do Senador. Vale lembrar, entretanto a festa do dia 8 de maio de 1951, data em que se comemorava o primeiro centenário do nascimento de Pinheiro Machado. Junto ao monumento foi realizada cerimônia cívica alusiva ao acontecimento, promovida pela Comissão Organizadora dos festejos, integrada pelo ministro Augusto Tavares de Lyra, pelos senadores Landulfo Alves, Alfredo da Silva Neves e Joaquim Pires Ferreira, deputados José Antônio Flores da Cunha e Daniel de Carvalho, historiador Cyro Silva, jornalista Hebert Moses, presidente da Associação Brasileira de Imprensa - ABI, Guilherme Melecchi, Presidente da Sociedade Sul-Riograndense e os doutores José de Oliveira Machado, ex-secretário particular do homenageado, Luiz Simões Lopes e Julio Barbosa, Diretor-Geral do Senado Federal.
Abrilhantaram a ocasião as bandas da Guarda Civil e da Polícia Militar que se revezavam na execução de marchas e dobrados.